Cientista mineiro é exemplo de como Minas pode superar crise

O movimento Sou Minas Demais, liderado pela Assembleia, mostra como o trabalho do pesquisador Ado Jorio contribui para o crescimento do Estado.

Iniciativa liderada pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), o movimento “Sou Minas Demais” busca mobilizar instituições públicas e privadas, lideranças e todos os cidadãos para que o Estado volte a crescer. Com essa união, o Parlamento mineiro pretende construir e reforçar o sentimento de que Minas Gerais é maior do que qualquer crise.

Essa mobilização também é um convite para recuperar a qualidade de vida do povo mineiro e trabalhar por um futuro melhor. E a construção desse futuro passa por diversas áreas, entre elas a ciência e tecnologia, tema que já tem sido objeto de frequentes debates e da discussão e aprovação de leis no Parlamento mineiro.

Nessa linha, o movimento “Sou Minas Demais” dá visibilidade a personagens inspiradores em suas áreas de atuação. É o caso do professor e pesquisador Ado Jorio de Vasconcelos. Incluído pela Thomson Reuters em lista dos cientistas mais influentes do mundo, ele também integra o rol de mineiros que contribuem decisivamente para o crescimento do Estado.

Para Ado Jorio é pós-doutor em Física pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos. Na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), cursou a graduação e o doutorado também na área. O pesquisador é membro titular da Academia Brasileira de Ciências e da Sociedade Brasileira de Física.

O cientista mineiro trabalha com a pesquisa e o desenvolvimento de instrumentação em óptica para o estudo de nanoestruturas com aplicações em novos materiais e biomedicina. Ele explica que, no âmbito da nanotecnologia, lida com a matéria em escala muito reduzida: um metro é dividido em um bilhão de fragmentos, e esse ínfimo pedaço é chamado de nanômetro. Ado Jorio afirma que esse é o tamanho, por exemplo, de moléculas do corpo humano.

No Laboratório de Nanoespectroscopia da UFMG estão em andamento projetos de pesquisas que podem resultar, por exemplo, na criação de um nanoscópio, aparelho que permitiria analisar diferentes nanoestruturas. O modelo de equipamento científico industrial, desenvolvido aqui, seria inédito no mundo, alcançando assim a comercialização internacional.

Outras pesquisas buscam soluções que podem revolucionar áreas da medicina e da tecnologia da informação. Está sendo desenvolvido equipamento, por exemplo, que permitirá realizar o diagnóstico do Mal de Alzheimer antes mesmo de a pessoa apresentar o quadro clínico da doença. Outros relevantes projetos se destinam a ampliar a velocidade da internet e agregar valor à minerais como o grafite, elevando significativamente o seu preço no mercado.

Prêmios – O professor recebeu, ao longo da carreira, diversos prêmios, dos quais se destacam: Prêmio Somiya (2009); da União Internacional das Sociedades de Pesquisa de Materiais (IUMRS, na sigla em inglês); Prêmio Scopus Brasil (2009), da Elsevier/Capes; e a Medalha da Inconfidência (2016), do Governo de Minas Gerais.

Para Ado Jorio, Minas Gerais já é referência no país na produção de conhecimento e no desenvolvimento de tecnologias. Em especial, para os jovens que ainda estão escolhendo uma profissão, o cientista aconselha que eles procurem se capacitar para resolver problemas ou mesmo para serem capazes de formular questões, o que está bem alinhado com o espírito do movimento “Sou Minas Demais”, que busca a superação da crise no Estado com criatividade e otimismo.

Fonte: G1 Sul de Minas

Foto: Reprodução/Internet – Luiz Santana/ALMG

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s