Vereadores ouvem população sobre instalação de eletrodo e sistema de transmissão em São Vicente de Minas

Tema veio à tona na 15º reunião ordinária

Os vereadores de São Vicente de Minas participaram, no dia 5 de julho, da 15ª Reunião Ordinária da câmara. Na ocasião, foram apresentados projetos e a tribuna foi aberta.

No início da reunião, foi feita a leitura, discussão e votação da ata da reunião anterior, aprovada por todos os edis. Foi lida ainda a moção de pesar pela morte de Antônio Vieira de Carvalho, e convites diversos. Na ordem do dia, o projeto de Lei Complementar 001/2017 de autoria do Executivo, sobre avaliação de desempenho dos servidores públicos da prefeitura, foi distribuído aos vereadores. Também houve a distribuição do Projeto de Lei 014/2017, também de iniciativa do Executivo, sobre a reformulação do Conselho Municipal de Educação criado pela Lei Municipal nº 1672/2016.

Ainda durante a reunião, a tribuna foi aberta a Ronaldo Reis Laredo, diretor-presidente da Cooperativa Agropecuária Mista de São Vicente de Minas. O agricultor falou sobre o sistema de transmissão Xingu – Rio e pediu ajuda aos vereadores para não deixar o assunto morrer. Ronaldo apresentou aos edis e aos presentes à reunião o relatório inicial do estudo feito pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) sobre os danos do projeto à população.

Segundo Ronaldo, os produtores e os demais moradores da cidade estão preocupados com os impactos ambientais, que de acordo com os estudos da universidade, podem atingir um raio de 10 km ou mais da localização do eletrodo. O projeto de implantação do eletrodo e do sistema de transmissão ainda prevê a passagem por áreas preservadas, como o Morro do Macuco e fazendas centenárias, além do prejuízo à fauna e à flora da região.

O presidente da Casa, vereador Miguel Gonçalves, afirmou que a Câmara Municipal está atenta a essa questão e pediu ao diretor-presidente da cooperativa que, assim que o estudo estiver pronto, que lhe encaminhem uma cópia para avaliação. O vice-presidente, vereador João Batista Filho, reiterou que os vereadores precisam de mais documentos para que tenham um maior embasamento.

O vereador Miguel Gonçalves informou também que na visita feita à Ibiúna (SP), na qual o vereador Manoel Silvano Felipe representou o Legislativo, não foi verificado nada de anormal nem nenhum impacto ambiental. O depoimento do vereador Manoel foi dado durante reunião ordinária e consta em ata. Segundo ele, que ressaltou ser leigo no assunto, em conversa com moradores da cidade, eles afirmaram que ninguém teve problemas de saúde e que os animais também vivem bem. O vereador Carlos Humberto Dias afirmou ter ficado preocupado com o que viu na reunião pública realizada no dia 30 de junho, mas que o caminho é esse e a população não pode ficar calada.

Os cidadãos presentes afirmaram que há inconsistência nos documentos apresentados pela empresa responsável, e que uma das maiores preocupações é com a radiação existente no eletrodo. Finalizando, o vereador e presidente da Mesa Miguel Gonçalves afirmou que a população pode contar com a câmara e que buscará, junto ao Executivo, a realização de uma audiência pública para uma maior discussão do assunto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s