2º Encontro de Mídias reúne membros da imprensa regional

Pelo segundo ano consecutivo como parte dos eventos que antecedem a entrega da Comenda Ambiental Estância Hidromineral de São Lourenço, o Encontro de Mídias reuniu jornalistas da região em um bate-papo enriquecedor sobre a imprensa e seus desafios, especialmente no interior, no dia 3 de junho. O encontro aconteceu na sede da Câmara Municipal.

Fizeram parte do momento os jornalistas Petrônio de Souza, que mediou o encontro; Antônio Epifânio de Moura Reis, ex-chefe de redação do Jornal O Globo em São Paulo, ex-diretor de Comunicação do Diário do Comércio da Associação Comercial de São Paulo; ex-editor do Diário de São Paulo e atual diretor de jornalismo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI); Soraia Vasconcelos, idealizadora do Terra de Minas, da TV Globo; Ramiro Batista, ex-diretor de Comunicação da ALMG, blogueiro e especialista em Mídias Digitais; Ademir Santos, apresentador do Alterosa em Alerta, da TV Alterosa; e o advogado Jansen Oliveira, membro da comissão de Liberdade de Imprensa da ABI e especialista em Mídias Digitais, além de representantes da imprensa regional.

O evento também contou com a presença da prefeita Célia Cavalcanti, que deixou algumas palavras para os profissionais. “É muita alegria estar aqui com todos neste evento, que só demonstra a importância que o jornalismo e a imprensa têm nossas vidas”, disse a prefeita em seu discurso de boas-vindas. Quem também participou do momento foi o presidente da Câmara, vereador Agilsander Rodrigues da Silva, e demais vereadores são-lourencianos, o vice-prefeito de Lambari, João Paulo da Fonseca Reis, o ex-prefeito de Belo Horizonte e presidente da Frente Nacional de Prefeitos, Márcio Lacerda, e os representantes do Tiro de Guerra de São Lourenço.

Em pauta, os principais desafios dos profissionais da área, especialmente os da região, e as mudanças que a tecnologia trouxe para o jornalismo. Foi muito debatido entre os convidados e a plateia a influência das redes sociais e que as tecnologias podem estar em constante mudança, mas o jornalista e sua ética devem permanecer. O diretor da ABI, Moura Reis, afirmou que os meios não podem mudar a essência do profissional. “Está se perdendo, junto com o papel, o jornalista responsável por aquilo que faz (…). A fake news a gente sabe de onde vem, mas quem vai se responsabilizar? Quando o jornalismo passa a ser feito atrás de uma maquininha foge-se de uma das normas fundamentais do jornalismo: lugar de repórter é na rua. Você faz jornalismo na rua, com fonte e com pessoas”, enfatizou.

O âncora do Alterosa em Alerta também chamou atenção para o objetivo de muitos jornalistas: o furo de reportagem. “O furo é consequência do trabalho. O interessante não é dar o furo, mas sim dar a notícia correta. Não adianta dar o furo e a notícia estar errada”, afirmou. E o advogado Jansen Oliveira lembrou: “O jornalista precisa cada vez mais se reciclar, para que ele reduza sua margem de erro e dê credibilidade à notícia, que é o grande desafio hoje”, disse.

Em palavra aberta aos profissionais presentes, foi falado das dificuldades de se fazer jornalismo no interior, com a concorrência desleal de veículos não autorizados e de como as mídias sociais influenciam na produção e disseminação de conteúdo que, muitas vezes, não tem origem confirmada. Foi um encontro onde os profissionais puderam aprender ainda mais a viver o jornalismo em sua essência.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s